IML afirma que jovem não morreu afogado, mas sim por agressão física, na Panair

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

O jogador de futebol Luiz Henrique Coelho Andrade, de 21 anos, encontrado morto no dia 25 de março deste ano não morreu por afogamento. É o que afirma o laudo do Instituto Médico Legal (IML) e a partir de agora o caso é tratado como um homicídio e deve ser investigado.

De acordo com o IML, Luiz teve traumatismo crânio-encefálico e provavelmente levou pancadas na cabeça. No dia do crime, testemunhas contaram que ele tinha acabado de sair de um jogo de futebol e estava caminhando e indo para a casa de um amigo.

No entanto, passaram por ele uns suspeitos de roubo e logo em seguida a Polícia Militar veio atrás e o abordou. Luiz Henrique teria sido levado para atrás de uma balsa, agredido e jogado no Rio Negro.

Um morador das proximidades teria pegado uma canoa para salvar Luiz, mas foi ordenado a soltar a vítima. A mãe da vítima, Leila Coelho, acreditava que ele tinha levado um tiro e acusou os PMs de mandarem o rapaz cair na água mesmo sem saber nadar.

O corpo do jogador foi encontrado cerca de 11 horas depois, devorado por peixes, perto de onde teria sido jogado.

Na época, a Polícia Militar se limitou em dizer que não havia recebido qualquer chamado para aquela área, porém, a família entrou com uma ação na Corregedoria de Justiça do Amazonas. O caso segue em investigação da Polícia Civil.

Leia Também