Criança de 4 anos tem mão mutilada em aparelho de raio-x de penitenciária de Manaus

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

O caso foi denunciado pela mãe da criança nesta segunda-feira (02) durante entrevista para a Rede Amazônica. Segundo a mulher, ela precisou deixar a menor sob vigilância de uma funcionária do Centro de Detenção Provisória Masculino 1 (CDPM), em Manaus, durante visita ao pai, para ir até o banheiro, e quando voltou a menina já estava machucada e sangrando muito.

“Eu perguntei se podia levar minha filha. Ela disse que não, porque ela já tinha passado na máquina. ‘Agora você vai lá no banheiro e deixa ela aqui’. Eu fui. A moça falou pra mim que minha filha sentou na beira da esteira em uma escadinha que tinha. Ela falou que a mulher ligou a máquina para outra pessoa passar. No que a pessoa foi passar, puxou a mão dela”, relatou.

O caso foi registrado no 20º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e aconteceu na última quinta-feira (28). De acordo com a mãe, ela e a filha já haviam passado pelo aparelho, mas a mulher precisou ir ao banheiro trocar o absorvente. No entanto, a agente penitenciária disse que a criança não poderia ir junto.

A criança teve parte da pele arrancada pela máquina. A mulher registrou um Boletim de Ocorrência (BO) e recebe assistência de uma ONG que presta assistência para família de detentos.

“Acho que ela foi mal instruída pela funcionária. Poderia ter dito para levar a criança, que é menor de idade. Ela autorizou a mãe a desacompanhar a criança. A mãe entendeu que ela ia dar esse suporte e ela não deu”, disse Luciana Barbosa, que acompanha o caso.

Em nota, a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) informou que a criança soltou a mão da mãe e correu para o equipamento que estava em funcionamento.

Foto: reprodução/Rede Amazônica

Leia Também