Lula e Bolsonaro trocam acusações no debate da Globo: “traidor da Pátria, tome vergonha na cara”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

BRASIL | O debate da Globo realizado nesta quinta-feira (29) foi marcado por troca de farpas, acusações, bate-bocas e ânimos alterados – principalmente entre os dois principais candidatos que lideram as pesquisas: Jair Bolsonaro (PL) e Lula (PT). Esse foi o último debate antes do primeiro turno das eleições, marcado para 2 de outubro.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que lidera as pesquisas de intenção de voto, foi a principal vidraça dos demais candidatos no primeiro bloco. 

Lula encarou logo de cara o pedetista Ciro Gomes, que relembrou de forma crítica os anos de governos do PT. Em resposta, o petista lançou mão de uma estratégia que vem usando na TV: relembrar o aumento de renda, do salário mínimo, a diminuição do desemprego, a reforma agrária e os criou programas de inclusão. 

Mas foi com Jair Bolsonaro (PL) que o debate pegou fogo. O presidente falou sobre os casos de corrupção nos governos petistas e acusou Lula de “querer impor agenda de ideologia de gênero e de liberação das drogas” quando respondia a uma pergunta de Padre Kelmon (PTB).  Após Lula conseguir direito de resposta, Bolsonaro tentou xingar o petista, mas foi advertido pelo apresentador William Bonner. 

Ao ganhar direito de resposta, Lula falou que Bolsonaro age de forma “irresponsável” e acusou o candidato à reeleição de manter uma “quadrilha da rachadinha e quadrilha no ministério da Educação”. 

Bolsonaro também ganhou direito de resposta e na sequência subiu ainda o tom ao chamar Lula de “mentiroso, ex-presidiário, traidor da pátria”. O presidente negou haver rachadinha em seu governo e acusou os filhos de Lula de “roubar milhões”, chamou a CPI da Covid de “farsa” e disse não “haver nada” de ilícito em sua gestão.

Em mais um trecho do confronto entre os rivais, Lula disse que vai revogar os sigilos de 100 anos de Bolsonaro para saber o que o atual presidente “esconde”. Com essa fala, Bolsonaro ficou irritado, tentou interromper o petista, mas o microfone estava fechado e voltou a ser advertido por Bonner para “respeitar” as regras. 

SORAYA vs. KELMON

Em seguida, a troca de farpas ocorreu entre a candidata Soraya Thronicke (União Brasil), e Padre Kelmon (PTB). Inicialmente, Soraya chamou Kelmon ao púpito e o questionou sobre as mortes causadas pela pandemia e a falta de compra de vacinas.

“O senhor sabia que poderíamos ter salvado mais pessoas se não tivesse faltada a vacina. Não tem vergonha de defender um governo desse?”, questionou Soraya. 

Em seguida, o Padre Kelmon disse que ela que teria de se arrepender por ‘mentir’. 

“Quem tem que se arrepender é a senhora que mente sobre esse imposto único. Você, eleitor, precisa ficar bem atento a esse tipo de proposta de candidatos falaciosos. Reduza o tramando do estado, deixe ele pequeno, e aí sim vai sobrar dinheiro”, disse ele. 

Em resposta, Soraya perguntou se o padre não tem medo de ir para o inferno. 

Leia Também