Luciano Hang é alvo de operação da PF por defender golpe militar caso Lula seja eleito

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

O empresário bolsonarista Luciano Hang foi alvo da Polícia Federal na manhã desta terça-feira (23) após defender golpe militar caso Lula seja eleito presidente.

Ele mais empresários foram pegos em grupos de zap defendendo um ato que é inconstitucional e fere a democracia. A operação foi autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes.

Entre os alvos estão Luciano Hang, da Havan, e Afrânio Barreira, do restaurante Coco Bambu. Na lista de alvos também estão José Isaac Peres, dono da rede de shopping Multiplan; Ivan Wrobel, da Construtora W3; José Koury, dono do Barra World Shopping; André Tissot, empresário do Grupo Serra; Meyer Nirgri, da Tecnisa; e Marco Aurélio Raimundo.  

“Prefiro golpe do que a volta do PT. Um milhão de vezes. E com certeza ninguém vai deixar de fazer negócios com o Brasil. Como fazem com várias ditaduras pelo mundo”, afirmou. O empresário Morongo também concordou e citou os atos de 7 de setembro.

Leia Também