Justiça manda soltar médico suspeito de fazer programas sexuais com menores em Manaus

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

O médico Edson Ritta Honorato, de 67 anos, não ficou nem 48 horas preso. Ele é suspeito de fazer programas sexuais com adolescentes e foi preso pela Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), nesta quarta-feira (6). A Justiça amazonense condeceu liberdade para ele.

A defesa alegou que faltava elementos como depoimentos das vítimas para fundamentar a acuação.

Segundo a delegada Joyce Coelho, a decisão é estranga, já que há provas suficientes e o flagrante erma consistentes. O depoimento da vítima só não foi encaminhado a tempo, porque a vítima precisava ser ouvida em uma sala especial.

Ainda conforme a autoridades, a delegacia só dispõe de um espaço desse tipo para atender todo o estado e por isso, o processo é lento. Mas, isso não interfere nas provas obtidas.

Entenda o caso

Após denúncias a Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) prendeu, nesta quarta-feira (6), o médico Edson Ritta Honorato, de 67 anos. Ele é suspeito de favorecimento à prostituição praticado contra adolescentes, de 14 e 16 anos. A prisão aconteceu na casa dele, no bairro São José, Zona Leste de Manaus.

Segundo a delegada Joyce Coelho, titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), o homem foi denunciado e a investigação durou cerca de dois meses.

O médico, que é gastroenterologista, costumava atrair as meninas com a proposta de trabalho, para fazer faxinas na casa dele. Ainda segundo a delegada, além de limpar o local, ele oferecia dinheiro em troca das relações sexuais.

A Depca montou campana e conseguiu prendê-lo. Uma jovem de 16 anos estava na casa dele, mas no primeiro momento disse que apenas tinha sido chamada para faxina. Depois, ela assumiu que também recebia por manter relações com o médico.

A adolescente disse que chegou ao suspeito por meio da irmã, de 14 anos, que também já havia se relacionado em troca de dinheiro. Ele costumava pagar R$ 150, o valor que também era pago normalmente pela limpeza na residência.

Quando foi preso, Edson Ritta Honorato negou as acusações. Ele vai responder por exploração de trabalho infantil e favorecimento à prostituição.

O homem foi levado para a sede da Depca e será conduzido à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde ficará à disposição da Justiça.

Em nota, a defesa do médico disse ele se declara totalmente inocente das acusações e vai demonstrar isso em processo. Em relação às imagens que estão em posse da polícia e mostram o médico com uma suposta menor, o homem prefere o silêncio e vai se pronunciar somente em juízo.

Leia Também