Justiça? Irmãos Alejandro e Paola Valeiko são absolvidos no processo da morte de Flávio Rodrigues

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Os dois enteados do ex-prefeito de Manaus, Arthur Neto, foram absolvidos no "Caso Flávio" por decisão do juiz Celso Sousa de Paula, o 1º Tribunal do Júri.

Os enteados do ex-prefeito Arthur Virgílio Neto, Alejandro Valeiko e Paola Valeiko, não serão mais julgados pelo Tribunal do Júri pela morte do engenheiro Flávio Rodrigues. A decisão é do juiz da 1ª Vara do Tribunal do Júri, Celso Souza de Paula. No documento despachado na última sexta-feira (17), ele também determinou que Paola, que havia sido denunciado por fraude processual, fosse absolvida do processo.

A decisão ocorre um dia após o desembargador Hamilton Saraiva, do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) negar o pedido de defesa de Alejandro Valeiko para anular os depoimentos de testemunhas e réus no caso Flávio. Agora, os dois irmãos não serão mais julgados no processo que investiga a morte do engenheiro, ocorrida no dia 29 de setembro de 2019, após uma festa na casa do Alejandro Valeiko, no condomínio de luxo Passaredo.

Além dos irmãos, o juiz Celso também absolveu sumariamente José Edvandro Júnior. Mayc Vinícius Teixeira Parede, que confessou ter efetuado as facadas que mataram o engenheiro conseguiu liberdade com medidas cautelares, pois segundo o juiz, não há motivos para que ele continue preso uma vez que está colaborando com as investigações. Para Elizeu da Paz foi concedida liberdade provisória. Todos eles haviam sido denunciados em dezembro de 2019, pelo Ministério Público do Amazonas (MPAM).

Justiça?

Amigos e familiares do engenheiro Flávio Rodrigues se manifestaram com a decisão do juiz da 1ª Vara do Júri. Eles acompanham o caso desde o dia do crime e ficaram desolados com a reviravolta que houve no caso.

“Que mudança tão rápida e precisa esses dois tiveram sobre o envolvimento no #casoflavio . Logo se ver que o crime compensa para quem têm poder aquisitivo financeiro elevado, mesmo que seja ilícito, mais é o quê vale….revoltante tão situação judicial….”, disse uma dessas pessoas, em uma rede social.

“O luto virou luta justiça pôr Flávio Rodrigues justiça, justiça, justiça pôr Flávio Rodrigues justiça, justiça, justiça, justiça, justiça, justiça, justiça, justiça pôr Flávio Rodrigues”, publicou outra internauta.

O crime

O engenheiro Flávio Rodrigues foi morto no dia 29 de setembro de 2019 após uma festa na casa de Alejrando Valeiko, no condomínio passaredo, na zona Oeste de Manaus.

Flávio foi encontrado no dia seguinte à festa em um terreno baldio na Estrada do Tarumã. Ele teve as roupas rasgadas e removidas com uma faca e foi amordaçado com uma fita adesiva silver tape. O engenheiro foi arrastado e sofreu múltiplas agressões  na cabeça, além de sete perfurações com faca. Flávio também foi asfixiado.

Devido às agressões sofridas, o engenheiro teve hemorragias internas. Nas investigações foram utilizados 14 laudos de perícia criminal, dois relatórios de investigação e uma planilha com registros audiovisuais.

Veja a decisão do juiz Celso Souza de Paula:

Leia Também