Adail Pinheiro tenta anular condenação alegando que desembargador também abusou de criança

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

O ex-prefeito de Coari, Adail Amaral Pinheiro, ingressou com pedido ao Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) pedindo anulação da condenação dele pelo crime de favorecimento à prostituição e exploração sexual de criança e adolescente, ocorrida em novembro de 2014.

Adail questiona a sentença e a imparcialidade do relator do processo à época, o então desembargador Rafael Romano, que foi responsável pelo voto que o condenou a 11 anos de prisão.

O motivo alegado pelo ex-prefeito, seria porque Rafael anos mais tarde, em 2020, também foi condenado a 47 anos de prisão por ter cometido abuso sexual contra a neta dele, entre os anos de 2009 e 2016. Para este caso ainda cabe recurso.

Para Adail, por ter cometido os mesmo crimes que ele, Romano não poderia ser considerado um juiz imparcial. Em um trecho da petição, a defesa de Adail cita que o voto de Rafael teria sido uma forma de “encobrir os crimes praticados pelo próprio desembargador”.

O pedido de anulação da sentença do ex-prefeito deve ocorrer nos próximos dias. O relator é o desembargador Abraham Peixoto Campos Filho.

Leia Também