Homem é morto após comemorar eliminação do Irã para os EUA na Copa

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Um torcedor iraniano, identificado como Mehran Samak, de 27 anos, foi morto a tiros por forças de segurança depois de comemorar a eliminação de seu país da Copa do Mundo do Catar 2022.

A seleção do Irã foi derrotada pelos Estados Unidos na partida disputada na noite de terça-feira, 29, gerando diferentes reações de apoiadores e críticos.

O rapaz assassinado participava de um ‘buzinaço’, o que foi interpretado como uma comemoração pelas forças de segurança do Irã. “As forças de segurança atiraram nele, na cabeça (…) após a derrota da seleção nacional contra os Estados Unidos”, denunciou o grupo Iran Human Rights (IHR), com sede na Noruega.

O Centro para os Direitos Humanos no Irã (CHRI, na sigla em inglês), com sede em Nova York, também informou que Samak foi morto pelas forças de segurança por comemorar a derrota.

Samak era amigo de infância de um dos principais jogadores da seleção iraniana, o Saeid Ezatolahi. O volante foi às redes sociais lamentar a morte do amigo.

“Gostaria que pudéssemos ser crianças para sempre. Sem lutas, sem ódio, sem inveja, sem brigar para derrubar o outro. Há muito a dizer, meu companheiro de equipe. Mas, infelizmente, as pessoas hoje em dia estão se afogando em tanta inveja e tumulto que é difícil ou impossível encontrar um par de ouvidos para escutar”, escreveu Ezatolahi, em seu Instagram.

“Depois da amarga derrota da última noite, a notícia de sua morte incendiou meu coração. Mesmo agora, escrevendo essa mensagem, ainda não dormi. Mas, velho amigo, você deve saber que a cada dia há menos humanidade nesse mundo. Há apenas um monte de pessoas vazias com máscaras, que pisam nos outros para conseguir o que querem. Mas tenha certeza de que, no dia em que essas máscaras caírem e a verdade sobre essas pessoas for revelada, eles terão que responder à sua família e à dor de sua mãe. Condolências à sua querida família. Não é isso o que nossa juventude merece, não é isso o que meu Irã merece”.

Leia Também