Hotéis do Centro de Manaus são interditados durante operação contra prostituição infantil

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Durante a operação, que iniciou nas primeiras horas da manhã de hoje, mais de 10 hotéis foram fiscalizados.

A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) coordenou, na manhã desta quinta-feira (10), mais uma Central Integrada de Fiscalização (CIF), desta vez focada em identificar e combater a prática de prostituição e exploração sexual de crianças e adolescentes.

A ação foi deflagrada no Centro de Manaus após um mapeamento realizado pela da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc). Ao todo, mais de dez hotéis foram fiscalizados e dois interditados, sendo na rua Joaquim Sarmento e outro localizado na rua Coronel Sergio Pessoa. Ambos foram interditados por falta de documentação obrigatória para funcionamento.

A delegada Joyce Coelho, titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), que participou da ação, destacou a importância em coibir esta prática.

“Cumprindo determinação da Secretaria de Segurança, a Polícia Civil do Amazonas, integrada com diversos órgãos administrativos de fiscalização, esteve no Centro com o objetivo de coibir essa prática. Nós precisamos estar presentes nesses locais para coibir e até mesmo orientar. A educação é o melhor meio de prevenção sempre”, disse a delegada.

O Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) realizou oito autuações em estabelecimentos vistoriados, as autuações foram aplicadas em decorrência de apresentação de auto de vistoria vencida, além da ausência de extintores de incêndio posicionados nos locais obrigatórios.

Vigilância sanitária

A operação começou às 6h, e avançou pelo restante da manhã. Os fiscais da Vigilância Sanitária da Prefeitura de Manaus (Visa Manaus) percorreram endereços nas ruas Simão Bolívar, Lobo D’Almada, Cel. Sérgio Pessoa, Joaquim Nabuco e Lima Bacuri, todas na região central de Manaus. Os fiscais da Vigilância municipal verificaram fatores como a higiene e a conservação dos edifícios, a segurança das instalações elétricas, a disponibilidade de álcool-gel para prevenção da Covid-19, e a atualidade da documentação relativa ao licenciamento.

Leia Também