Sob multa diária de R$10 mil, empresas são obrigadas a apagar fotos do cadáver de Cristiano Araújo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

O cantor morreu em 2015 durante um acidente de carro, e imagens do momento que o corpo estava sendo preparado para o velório vazaram e rapidamente viralizaram nas redes sociais. Mas, seis depois, no último domingo (13), a juíza Patrícia Bretas entendeu que fotos e vídeos produzidos no local do acidente e posteriormente em necropsia do corpo lesionam a imagem e moral de toda a família do artista e sentenciou que empresas de busca na internet e uma rede sociail excluisse as imagens sob multa diária de R$10 mil. As informações são do portal G1 de Goiás.

“Tenho comigo que o autor [pai de Cristiano] logrou êxito em demonstrar que as imagens e vídeos que envolvem seu falecido filho, Cristiano Araújo, violam e lesionam a imagem e a moral de toda a sua família, sendo impositiva a intervenção judicial para cessar tal transmissão/propagação”, escreveu a magistrada.

A multa fixada em R$ 10 mil por dia, no entanto, pode chegar ao teto de R$ 1 milhão, a ser revertida em benefício de João Reis de Araújo, pai do cantor, que entrou com a ação na Justiça.

Leia Também