Leandro Hassum falta audiência e irmãs Lins pedem multa ao humorista

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

MANAUS – As irmãs Gabriele e Isabelle Lins pedem uma multa na justiça pela falta do humorista Leandro Hassum à audiência de conciliação marcada para a última terça-feira (30), em Manaus. Elas pediram indenização por danos morais de R$ 100 mil sob a alegação de que foram chamadas de “burra”, por Hassum, em programa da TV Globo.

O caso ocorreu no programa “Encontro com Fátima Bernardes” do dia 22 de janeiro. O assunto era sobre a investigação do MP-AM (Ministério Público do Amazonas) sobre a possível burla à fila de vacinação em Manaus. As irmãs gêmeas ganharam dimensão nacional quando compartilharam imagens nas redes se vacinando.

Elas, no entanto, começaram a trabalhar como médicas, tendo direito à vacina por ser linha de frente, no mesmo dia da vacinação. O ponto de trabalho, inclusive, era uma UBS e não um hospital de emergência.

Durante o programa, a apresentadora questiona Hassum sobre o sentimento dele quando olha as imagens e ele respondeu: “Quando eu vejo que posta eu já acho burra. A primeira coisa que me vem é que é burra. Burra. Né, amor. Na boa, quer fazer besteira, para quê posta? ‘Olha eu fazendo besteira aqui gente’”, disse o humorista.

Em fevereiro deste ano, as irmãs processaram Hassum na Justiça do Amazonas pedindo indenização de R$ 50 mil para cada uma delas, “levando em consideração a notoriedade do requerido, o fato de ter proferido sua fala em rede nacional, o fato de ter maculado não só a honra subjetiva das Autoras, mas o nome de sua família”.

Apenas Gabrielle Lins compareceu à reunião, acompanhada de advogados que também representam a irmã dela. A Justiça informou  que Hassum, apesar de ter sido citado, não foi à audiência. As irmãs pediram a aplicação de multa ao humorista em razão da ausência injustificada.

Em novembro, os advogados de Hassum informaram à Justiça que ele não tinha interesse na realização de audiência de conciliação. Antes disso, em outubro, a defesa do humorista contestou a ação sustentando que ela deveria ser ajuizada na Justiça do Rio de Janeiro e que Hassum não se referiu diretamente às irmãs, mas “censurou a atitude das mesmas”.

Leia Também