Família e amigos protestam em frente ao Henoch Reis pedindo prisão de motorista que atropelou pastora na parada

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Amigos, familiares e diversas lideranças de Manaus protestaram em frente ao Fórum Henoch Reis, na Zona Centro-Sul de Manaus, na manhã desta quinta-feira (29), pedindo a prisão de Leonardo Oliveira Santos, de 22 anos. Ele atropelou e matou Andréia Trindade Oliveira, de 46 anos, que estava numa parada de ônibus no bairro Santo Agostinho, Zona Oeste da capital, para ir trabalhar.

Leonardo foi indiciado e está respondendo em liberdade pelos crimes de homicídio simples e lesão corporal porque se apresentou à polícia fora do período de flagrante, não podendo ser preso. O caso gerou revolta e um dos pontos levantados pela família e amigos é que a justiça não foi feita.

O condutor causou a morte e não prestou socorro. Em vídeos, é possível vê-lo dirigindo a Hilux preta, que seria da locadora da loja do pai. Em depoimento, ele disse que dormiu ao volante quando voltava da festa de Natal da casa de um amigo e que não parou por não ter percebido que tinha sido um caso grave.

Andréia morreu esmagada, com o crânio fraturado e a estrutura da parada de ônibus chegou a ser quebrada. Cacos de vidro ficaram na via e no veículo.

Chorando muito, o marido da vítima, Edison Reis, chegou a cair no chão sem conseguir a falar da esposa. “Eu quero a minha esposa aqui comigo”, dizia ele, nesta manhã, em frente ao Henoch Reis.

O delegado titular da Delegacia Especializada em Acidentes de Trânsito (Deat), Temistocles Silva, já representou pela prisão preventiva de Leonardo e familiares e amigos pediam que a justiça fosse feita e que a prisão fosse acatada o quanto antes.

O pedido foi encaminhado ao Plantão Criminal do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM).

Leia Também