Família de atirador no ES tenta justificar o crime: ‘problemas psiquiátricos’; polícia não encontra evidências

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Os familiares do adolescente de 16 anos, que invadiu e disparou contra alunos e funcionários de duas escolas na cidade de Aracruz, na manhã desta sexta-feira (25), afirmaram que o jovem fazia tratamento psiquiátrico.

As informações são do Folha Vitória.

O jovem, que é ex-alunos das escolas que invadiu, matou três pessoas a tiro e feriu outras 13 durante o ataque.

Apesar da justificativa usada pela família, a polícia não encontrou nenhuma anotação na ficha escolar do garoto que afirmasse que ele passava por consultas psiquiátricas.

Segundo a polícia, ele demonstrou frieza no momento em que foi encontrado e nenhum sinal de arrependimento. O ataque vinha sendo planejado há 2 anos; o autor vestia uma braçadeira com a suástica, símbolo máximo do nazismo.

“Ele falou todos os fatos com riqueza de detalhes, disse que planejou, mas não falou qual foi o motivo. Ele estava em choque, mas tranquilo. Não conseguimos ver arrependimento”, disse o superintendente de Polícia Regional Norte, João Francisco Filho.

Durante os ataques, duas professoras e uma aluna de 12 anos foram mortas. Até agora, foram registradas 13 pessoas feridas.

O caso segue sendo investigado.

Leia Também