Estudantes da rede estadual conquistam medalhas em campeonato brasileiro de Vôlei

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Os estudantes do Colégio Brasileiro Pedro Silvestre fazem parte da Seleção Amazonense de Vôlei e competiram no Rio de Janeiro com equipes de todo Brasil.

O trio de estudantes Marcello Augusto, Filipe Galan e Abraão Teixeira, do Colégio Brasileiro Pedro Silvestre, foram ao Rio de Janeiro e conquistaram o primeiro lugar no Campeonato Brasileiro de Seleções, realizado neste mês, em Saquarema. O título é da categoria Sub-18 da Seleção Amazonense de Vôlei, da qual os estudantes são integrantes.

Vencer competições de vôlei é tradição da escola, que passa o projeto de geração em geração, há mais de 10 anos.

A seleção competiu com atletas de todo o Brasil e conquistou a medalha de ouro entre as equipes. A secretária estadual de Educação e Desporto, Kuka Chaves, frisa que o incentivo ao esporte é fundamental para a educação integral dos jovens.

“Ficamos muito felizes com esses resultados, em ter atletas que se dedicam e conquistam o que sonham. O governador Wilson Lima é um grande incentivador do esporte no Amazonas, e sabemos que a escola é a base para essas futuras gerações de atletas profissionais que estão por vir”, destaca a secretária.

Campeões

Marcello Augusto, capitão do time, comenta como se sente feliz em poder ter conquistado de forma ímpar esse título para o Amazonas. Como capitão, ele ressalta o peso da responsabilidade em ter que trabalhar diretamente com os horários e ser um dos incentivadores dos treinos.

“É uma satisfação bem grande, até porque é meu primeiro título no brasileiro, ainda mais sendo capitão”, ressalta.

Filipe Galan contou que teve dificuldades em comparecer aos treinos, pois às vezes não tinha o dinheiro para o deslocamento. “Eu esperava o título, porque todo mundo se dedicou bastante e sempre quem se esforça, vence”, diz o estudante.

Já para Abraão Teixeira, a maior conquista foi poder ter o apoio da família. “Foi inesperado, no começo eu não tive apoio da minha família, mas depois de um tempo meus pais começaram a me apoiar. E quando eu ganhei o título, meus pais vibraram e viram como isso era importante para mim”, conta o medalhista.

Preparação

O Colégio Brasileiro é filiado à Federação Amazonense de Vôlei (FAV), e com isso há apoio na preparação dos alunos para as competições estaduais e nacionais. Para ingressar na escolinha de treinos, sediada na própria unidade de ensino, os alunos de ambos os sexos precisam ter 11 a 19 anos,. Atualmente, são 59 inscritos no time masculino, e 39 no feminino.

Os treinos acontecem todos os dias, divididos por times. O treinador Walhederson Barbosa, foi um dos maiores incentivadores dos estudantes. Durante a pandemia, ele orientava os exercícios e os alunos reproduziam os treinos em casa. Após o resultado, ele diz que o trabalho valeu a pena.

“O sentimento é de missão cumprida, e agora é se preparar para os demais alunos que vem por aí”, observa.

Leia Também