Fábrica de Eventos vai contra ciência e mantém ‘Buteco do Gusttavo Lima’ neste sábado

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Ignorando os riscos da Covid-19 e a chegada da variante ômicron, a empresa não desistiu de lucrar e manteve o show que deverá causar grandes aglomerações.

Nem mesmo a preocupante chegada da variante ômicron no Brasil e com a alta nos casos de Covid-19 no Amazonas fez com que a empresa Fábrica de Eventos cancelasse o mega show “Buteco do Gusttavo Lima 2021”, aqui em Manaus.

O show acontece neste sábado (4), na Arena da Amazônia e apesar de anuncia que seguirá os protocolos de segurança, a empresa responsável pelo evento não informou sobre como pretende trabalhar com o publico no quesito aglomeração e nem mesmo sobre a expectativa de público.

O evento acontece no mesmo que o prefeito David Almeida anunciou o cancelamento da festa de Réveillon, devido ao avanço da variante ômicron no Brasil. No restante do país, várias capitais também cancelaram o evento de fim de ano como forma preventiva de conter a disseminação do vírus, que já matou mais de 615 mil brasileiros.

Durante todo o sábado, na página oficial da Fábrica de Eventos, houveram muitas publicações mostrando a organização do local, como a montagem do palco e o armazenamento de bebidas alcoólicas. Em alguns comentários, pessoas que haviam comprado ingressos acabaram desistindo e usaram os próprios posts da empresa para tentar vender ingressos comprados.

A área VIP será open bar (cerveja, água e refrigerante). Já a Extra VIP, além de ser open bar (incluindo vodka importada e whisky red label), também será open food.

Polêmica

Tanto a população quanto políticos têm discutido sobre a realização de grandes festas, em especial na capital amazonense. Nesta semana, os vereadores Carpê e William Alemão defenderam a realização dos grandes eventos na cidade como forma de gerar renda para a população.

No entanto, a defesa deles vai contra todas as orientações de especialistas no assunto, que pedem para que a população não aglomere enquanto a pandemia não foi contida, em especial agora, com a descoberta da variante ômicron.

Leia Também