Deputado Alberto Neto associa vídeo de presidiários a Lula e causa polêmica nas redes sociais

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

O deputado bolsonarista Alberto Neto mexeu com a mente dos internautas nesta terça-feira (3) ao publicar um vídeo de uma susposta coemoração dos presidários do Amazonas. Eles estariam vibrando com a vitória de Lula no primeiro turno.

Não há informação oficial de que a imagem seja no Amazonas nem que faça referência a Lula. Alguns internautas observaram que a postagem é “aleatória” e pode ter sido feita em outro momento. Mas para Alberto Neto é de Manaus e associa Lula aos bandidos.

CONDENADO POR FAKE NEWS

Alberto Neto foi condenado em julho deste ano por fake news. Ele divulgou uma notícia falsa após a chacina na favela do Jacarezinho, no RJ. Na postagem, o deputado bolsonarista compartilhou um vídeo de Adriana Santana de Araújo Rodrigues, mãe de um dos mortos na chacina, segurando um fuzil. O vídeo não foi divulgado apenas por Alberto Neto, outros apoiadores, parlamentares e figuras públicas também publicaram o material.

A mensagem falsa ironizava a mãe de uma das vítimas pedir justiça em rede nacional, porém, tinha sido gravada horas antes com um fuzil. Na época, a polícia alegou que a mulher que aparecia no vídeo não era Adriana Santana de Araújo Rodrigues.

Os autores da publicação precisaram pagar uma indenização de R$ 10 mil por danos morais. Além disso, Alberto Neto e os demais condenados excluíram a publicação das redes sociais “em razão do constrangimento ilegal, inclusive risco de morte, causados à parte autora, conforme narrativa na petição inicial”.

Além dos políticos, o ator Thiago Gagliasso também foi condenado a pagar a indenização no valor de R$ 10 mil para Adriana. Caso não cumpra a determinação da Justiça, Thiago deverá pagar multa diária de R$ 200. O valor só pode chegar até R$ 2 mil

Leia Também