Criança indígena é vítima de estupro coletivo e morre ao ter o corpo jogado em penhasco

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Uma menina da etnia Kaiowá, de apenas 11 anos de idade, foi vítima de estupro coletivo e morreu após ser jogada de um penhasco de cerca de 20 metros de altura, em uma localidade próxima a aldeia Bororó, em dourados (MS). O crime ocorreu na última segunda-feira (9).

De acordo com a polícia, cinco suspeitos confessaram o crime e já estão à disposição da Justiça. Dentre eles, três são adolescentes e dois, adultos, sendo um deles o tio da vítima.

Os adolescentes confessaram ter levado a menina para o local arrastando-a pelos cabelos. Eles disseram que receberam dinheiro em troca do serviço. No local os outros suspeitos já os aguardava. Eles obrigaram a criança a ingerir bebidas alcoólicas e em seguida a estupraram.

Em depoimento os adultos disseram que durante os abusos a menina gritava e pedia por socorro e desmaiou por várias vezes. Após cometerem o estupro coletivo eles jogaram a menina do penhasco para que ela não os denunciassem.

O corpo da criança foi encontrado no mesmo dia do crime, sem roupa e todo dilacerado devido à queda. Os cinco suspeitos serão indiciados por estupro de vulnerável, feminicídio e homicídio qualificado.

Leia Também