Alejandro Valeiko desafia a Justiça, quebra a prisão domiciliar e vai almoçar no Amazonas Shopping

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Filho da ex-primeira dama Elizabert Valeiko, e enteado do ex-prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB), Alejandro Valeiko mostrou nesse fim de semana que não teme nem mesmo a Justiça do Amazonas. Ele foi flagrado almoçando no Amazonas Shopping, numa boa, no último domingo (29), enquanto a família de Flávio Rodrigues segue há quase dois anos pedindo que o assassinato do engenheiro tenha um julgamento e uma punição.

Alejandro deveria cumprir prisão domiciliar, mas como conseguiu o benefício de ficar sem tornozeleira no dia 19 de abril, provou que anda por Manaus livre como um pássaro. Fez sua refeição, sorriu e passeou aproveitando para olhar as vitrines das lojas, antes de sentar e saborear uma apetitosa macarronada.

Em abril Alejandro conseguiu a tão sonhada alforria, e tirou o incômodo acessório de monitoramento do tornozelo. Ele, sua irmã, Paola Valeiko Molina,  o policial Elizeu da Paz de Souza, Mayc Teixeira Parede e José Edvandro Martins de Souza respondem pelo crime que aconteceu no dia 29 de setembro de 2019, na casa onde Alejando morava, de propriedade de sua mãe, Elizabeth Valeiko, em condomínio de luxo na Ponta Negra.

SEM BENEFÍCIOS

Se Alejandro está solto, a mesma sorte não tiveram outros envolvidos no caso. Em março deste ano, a Justiça negou a soltura de Mayc, alegando que “não houve qualquer mudança na situação jurídica-processual.” Elizeu também tentou sair da cadeia, mas não lhe foi permitido, considerando a “gravidade do crime em tese praticado” e a “exacerbada violência” cometida contra o engenheiro Flávio..

Hoje, apenas Elizeu e Mayc estão presos. Elizeu é acusado de colocar o corpo do engenheiro no carro da Prefeitura de Manaus e leva-lo até o local da desova, no Tarumã. Mayc confessou ser autor das facadas que tiraram a vida da vítima.

De acordo com a polícia, os amigos consumiam bebida e drogas quando crime aconteceu, após uma discussão. Flávio Rodrigues foi encontrado morto no dia seguinte, no Tarumã. Imagens do sistema de segurança mostrar o momento em que o carro sai do condomínio com o corpo dele na parte traseira.

O mesmo juiz George Hamilton Lins Barroso, da 1ª Vara do Tribunal do Juri da Comarca de Manaus, concedeu o benefício a Alejandro no dia 19 de abril. “não consta dos autos informação sobre qualquer comportamento ou ato do acusado que prejudique ou inviabilize a tramitação processual”.

O Ministério Público Estadual (MP-AM) concorda. “Pelo exposto, com fulcro no Art. 282, §5º, do Código de Processo Penal e em consonância com o Parquet, revogo a medida cautelar de monitoramento eletrônico imposta ao acusado Alejandro Molina Valeiko, já qualificado nos autos. Ato contínuo, determino a manutenção das demais medidas cautelares diversas da prisão impostas quando da revogação da prisão preventiva do mencionado acusado, constantes da Decisão de fls. 3424/3435”, escreveu o juiz em trecho da decisão.

Nas redes sociais, toda vez que o crime é relembrado, os internautas pedem por Justiça e relacionam a impunidade de Alejandro ao foto de ser filho da ex-primeira dama e enteado do ex-prefeito de Manaus. Ao menos pelas imagens vistas no Amazonas Shopping, nada indica que a morte de Flávio Rodrigues sairá das páginas da história da impunidade.

Veja o vídeo:

Leia Também