Covid-19: Com aumento dos casos China retoma lockdown

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Até o momento não foi registrada nenhum caso da variante Ômicron, no entanto, o governo decidiu adotar medidas restritivas e quem desrespeitá-las pode ficar até 10 dias na prisão.

No último domingo (26), a China começou a realizar diversas ações para evitar a proliferação do novo coronavirus, em especial na cidade de Xian, onde foram registrados 150 novos casos de Covid-19. Apesar de o número ser “aparentemente” pequeno, ele indica um crescimento da doença e por medidas de segurança, o governo decidiu adotar medidas restritivas.

Dentre essas medidas está o lockdown. Os 13 milhões de habitantes de Xian foram informados que devem permanecer em suas residência e só sair quando for considerado essencial. As ruas e locais públicos passaram por um processo de limpeza. Devido ao trabalho de desinfestação, os moradores foram orientados a fecharem as janelas e que evitassem tocar em superfícies fora de casa.

Além disso, Carros estão proibidos nas vias públicas e, caso a medida for desrespeitada, os motoristas podem ficar até 10 dias na prisão. Multas também podem ser aplicadas para quem desrespeitar as regras de circulação.

Ômicron

Até o momento, não existem registros de casos da Ômicron no país, e o aumento dos casos está relacionado à variante Delta. Pesquisa da Universidade de Hong Kong sugeriu que as pessoas vacinadas com duas doses da Coronavac devem tomar uma dose de reforço “o mais rápido possível” para garantir a proteção contra a variante Ômicron do novo coronavírus.

Leia Também