Profissionais são treinados para testagem de passageiros no aeroporto de Manaus

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) e a Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa-Manaus), realizaram, nesta sexta-feira (28/05), treinamento da equipe que vai atuar na testagem dos passageiros que desembarcarem no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes para diagnóstico de casos da Covid-19, a partir da próxima segunda-feira (31/05). 

O Governo do Amazonas, a Prefeitura de Manaus e a Anvisa fecharam um acordo para realização desse monitoramento com objetivo de detectar a entrada de variantes no estado, como a B.1.617, identificada na Índia. 

A equipe realizará a testagem de pelo menos 10% dos passageiros de cada um dos voos que chegam diariamente ao aeroporto, atuando em turnos de 12 horas, para vigilância por 24 horas. Ao todo, 19 profissionais foram cedidos pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) para compor a equipe, sendo 11 técnicos de enfermagem, quatro farmacêuticos e quatro enfermeiros. 


Os profissionais receberam treinamento sobre a coleta de amostras para o exame RT-PCR, orientações para abordagem dos passageiros no saguão do aeroporto e notificações dos casos positivos. Técnicos da FVS-AM, da Semsa-Manaus e do Laboratório de Saúde Pública (Lacen) realizaram a capacitação. 

A técnica de patologia clínica da FVS-AM/Lacen, Raimunda Reis, que integra a equipe de coleta do laboratório, disse que esse processo é muito importante para que haja um resultado conclusivo do exame RT-PCR, que será divulgado para o paciente dentro do prazo de 48 horas. 

“Nesse processo eles vão saber exatamente como proceder no momento da coleta. Como tranquilizar o paciente, como fazer a coleta perfeita e rápida”, orientou a técnica.

O enfermeiro técnico Fabrício Melo, da FVS-AM, explicou que o processo de coleta será realizado após os passageiros serem orientados, ainda dentro da aeronave, pelos comissários, sobre a necessidade de realização do exame.

“A equipe da Fundação de Vigilância em Saúde vai estar presente no saguão do aeroporto no desembarque para fazer o acolhimento dos passageiros que estão chegando de outros estados ou países. Com isso, vai ser ofertada a coleta de RT-PCR”, esclareceu o enfermeiro. 

A equipe de testagem foi orientada pela Semsa a notificar a origem dos voos de cada passageiro; de onde ele vem; se já foi vacinado; o número do assento na aeronave, pois se o resultado do exame for positivo será possível identificar os passageiros que sentaram próximo e solicitar os números de telefone para o telemonitoramento dos positivados. 

Leia Também