Professor morre ao aplicar substância nas coxas que acreditava ser anabolizante

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Conforme a guia de encaminhamento da Santa Casa, Gustavo teria aplicado ricina intramuscular nas duas coxas acreditando se tratar de anabolizante.

Um professor de matemática, identificado como Gustavo Henrique Gonçalves, de 26 anos, morreu após aplicar uma substância nas próprias coxas acreditando se tratar de anabolizante. O caso aconteceu na tarde da última quarta-feira (1°), em Araçatuba, interior de São Paulo.

De acordo com a polícia, o pai do professor procurou a delegacia para registrar Boletim de Ocorrência (BO) e contou que o filho foi atendido por médicos do pronto-socorro e encaminhado para a Santa Casa de Araçatuba.

O homem não soube informar quem levou o filho para o pronto-socorro da Santa Casa. Conforme a guia de encaminhamento da Santa Casa, Gustavo teria aplicado ricina intramuscular nas duas coxas acreditando se tratar de anabolizante.

O diagnóstico inicial da vítima foi de intoxicação exógena e acidose metabólica grave por envenenamento. De acordo com o boletim de ocorrência, o quadro do jovem evoluiu para insuficiência respiratória, insuficiência renal aguda e choque séptico.

Ricina é uma proteína altamente tóxica extraída da mamona. A substância, segundo especialistas, pode matar uma pessoa apenas com uma pequena quantidade.

A polícia investiga se o produto usado por Gustavo é realmente a toxina e onde o rapaz adquiriu a substância.

Familiares abalados

O corpo de Gustavo foi velado no mesmo dia da morte dele e enterrado no Cemitério municipal Recanto de Paz. Uma tia do jovem afirmou que está revoltada com a morte do sobrinho. “Hoje a família Gonçalves perdeu mais um. Muito triste. Revoltante, mas que Deus receba ele e nos dê conforto. Gustavo Henrique, já estamos com saudades”, escreveu Wilma Gonçalves em uma postagem na rede social.

A namorada do professor, a recepcionista Ana Carolina, fez uma homenagem ao professor e contou como foram os últimos oito meses juntos, desde que assumiram o relacionamento.

“O Gustavo era uma pessoa incrível, caridosa, sensível, amável e uma das melhores pessoas que pude ter o prazer de conhecer nessa vida. Deus me deu a benção de se sua amizade anos atrás e me deu também 8 meses, ao lado dele, podendo ter um pouquinho só o prazer de conhecer ele pessoalmente e ser feliz no tempo em que passamos juntos. Ele se foi cedo, nos deixou cedo, mas eu rezo para que ele tenha a felicidade que ele sempre procurou a vida toda. Que Deus conforte o coração de todos os familiares, amigos e o meu, que hoje se entristeceu. Vá em paz, meu bem, e viva a paz eterna”, escreveu ela no Facebook.

Leia Também