Professor de história usa roupa referente à Ku Klus Klan e é afastado de escola, em São Paulo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
O triste episódio ocorreu durante um desfile de fantasias em uma escola da rede pública. Alunos e funcionários da escola se revoltaram com a atitude do professor.

Após circular no pátio de uma escola estadual vestido com roupas semelhantes à do grupo supremacista Ku Klux Klan, um professor de história, que não teve a identidade divulgada, foi afastado pela Secretaria Estadual de Educação de São Paulo. O fato ocorreu na Escola Estadual Amaral Vagner, em Santo André (SP) e foi filmado por alunos do estabelecimento.

A pasta informou ainda que já iniciou os trâmites para o afastamento imediato do professor e que “não admite qualquer forma de discriminação e injúria racial”. O triste episódio aconteceu o último dia 8 de dezembro, durante o evento da Semana Temática e da Olimpíada, onde os alunos e professores participaram de um desfile de fantasia.

Em nota, a escola esclareceu o que aconteceu no dia. “Um professor de história, sem o conhecimento do Grêmio, da Atlética, ou da escola, se vestiu com uma fantasia que fazia alusão ao grupo terrorista Ku Klux Klan. No mesmo instante que o professor adentrou a quadra, local onde ocorreria o desfile com tal vestimenta, foi vaiado e retirado da quadra pelos estudantes e membros do Grêmio e Atlética que estava presentes na hora do ocorrido, tirando a fantasia e foi encaminhado a direção escolar”, diz o comunicado.

Ainda segundo a escola, após o episódio o professor teria reconhecido que a sua atitude foi infeliz e teria feito um pedido formal de desculpas. Na redes sociais, há convocação de um protesto a ser realizado na frente da escola na tarde de amanhã, cobrando um punição para o caso no caso.

Leia Também