População invade delegacia para matar homem que estuprou e arrancou couro cabeludo de jovem

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

A Polícia Militar disparou tiros, na noite deste domingo (3), para tentar dispersar os moradores que estavam revoltados e derrubaram o muro da delegacia onde o suspeito de estuprar uma jovem de 23 anos estava preso. Claudionor SanDesk, de 44 anos, foi preso pelo crime em Novo Progresso, no Pará. Ele é suspeito, ainda, de ter arrancado parte do couro cabeludo da vítima.

Ele foi localizado depois que as polícias analisaram imagens das câmeras de segurança das proximidades de onde o fato ocorreu, na madrugada do último sábado (2). Por nota, a PC informou que investiga os crimes de estupro e lesão corporal.

Com a notícia da prisão, uma multidão se deslocou para a delegacia para linchar o suspeito. Conforme vídeos, muitas pessoas ficarem em frente da delegacia revoltadas com o crime e querendo fazer “justiça com as próprias mãos”.

O crime

A vítima de 23 anos tinha acabado de sair do trabalho na madrugada do sábado (2), uma pizzaria, e estava em sua moto quando foi derrubada propositalmente por Claudionor.

Ela foi estuprada e agredida. A vítima, que teve a roupa e partes do couro cabeludo arrancadas, foi socorrida em estado grave pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Nas imagens analisadas segundo a polícia, na data e horário em que a violência foi registrada, é possível ver o momento da suposta fuga do homem após o crime, em um carro modelo Renault Kwid cinza.

O automóvel estaria com o pneu direito dianteiro furado e a capota quebrada, coincidindo com o mesmo lado em que a vítima alega ter sido batida. De posse das imagens, a polícia realizou diligências em vários bairros, até chegar ao endereço da residência de Claudionor SanDesk e a prisão foi realizada.

Leia Também