Policial que acusou coronel de assédio sexual pede exoneração da PM

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

SÃO PAULO| Jessica Paulo do Nascimento, soldada da Polícia Militar, que afirmou em abril ter sido vítima de assédio sexual e de ameaça de estupro e morte por parte de seu comandante, pediu exoneração da corporação. Ela afirma temer pela própria vida e a de seus familiares.

A baixa da policial dos quadros da corporação foi publicada na quarta-feira (26), no Diário Oficial do estado de São Paulo.

Jéssica diz que medida foi tomada para tentar garantir sua proteção na Justiça comum. Para Jéssica, apesar da gravidade das denúncias, a Polícia Militar não foi capaz de garantir a segurança dela e da família.

“Eles [a Corregedoria] prometeram cuidar de mim, garantir que eu e minha família não corrêssemos riscos. Mas o máximo que fizeram foi me transferir para a Segunda Companhia do 45º Batalhão, em Praia Grande. E, apesar de terem garantido que me colocariam para trabalhar administrativamente, na verdade me puseram para trabalhar nas ruas, para fazer o policiamento nas ruas”.

Jéssica afirma que, desde que se apresentou na nova Companhia, no mês passado, sentiu hostilidade por parte de colegas e superiores. Com o comportamento considerado “ótimo” dentro da corporação, o grau máximo da avaliação periódica realizada pela PM, passou a receber advertências por motivos que ela considera como “pequenos”.

Entre eles, por ter dado uma entrevista a um veículo de comunicação dentro de sua própria residência e não ter batido continência quando da chegada de um superior, em um dia em que compareceu ao batalhão fora do horário de trabalho para receber atendimento médico.

Leia Também