PF investiga superfaturamento de R$ 130 milhões na impressão das provas do Enem

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
De acordo com as investigações, servidores do Inep teriam favorecido empresas com contratos milionários.

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (7) uma operação que investiga um suposto superfaturamento de R$ 130 milhões em contratos com gráficas que imprimiam as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As fraudes ocorreram entre os anos de 2010 e 2019.

De acordo com as investigações, servidores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas educacionais Anísio Teixeira (Inep) teriam favorecido as empresas RR Donnelley e a gráfica Valid com contratos milionários.

A operação também aponta que funcionários do Inep são suspeitos de enriquecimento ilícito. A PF investiga crimes contra a lei de licitações, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Ao todo, são cumpridos 41 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal e nos estado do Rio de Janeiro e em São Paulo.

Leia Também