‘Mulher gato’, travesti que era amante de três líderes do tráfico, é presa por vários furtos

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Ela ostentava em sua rede social uma vida cheia de luxo, com passeios em lanchas e festas em camarotes.

Uma travesti, que se identifica como “Mulher Gato”, mas que na verdade se chama Luanna Rabelo, foi presa apontada pela polícia como suspeita de cometer roubos, furtos, inclusive uma pistola Glock de um policial militar com quem fez um programa por R$50.

Segundo informações da Delegacia de repressão a Entorpecentes (DRE), do Rio de Janeiro, “Mulher gato” é amante de pelo menos três chefes do tráfico da região a Maré, além de fazer programas em bailes funks.

Ainda segundo os policiais, há mais de 20 registros contra ela, no qual o modo de agir sempre era o mesmo: a travesti usava de sua beleza para se aproximar dos homens, pedia abraços e os empurra contra parede. Era nesse momento que ela furtava os objetos.

Na delegacia, ela contou que foi expulsa da Maré, mas não quis detalhar o motivo, porem, nas redes sociais a esposa de um dos traficantes quem com quem ele mantinha relacionamento fez ameaças a ela após descobrir a traição.

Clientes diversificados

Luanna oferecia programas sexuais não apenas nos bailes, mas também em suas redes sociais. E ela não diferenciava a sua clientela: atendia de traficantes a policiais. E foi num desses programas com um policial que ela furtou uma arma dele enquanto estava dentro do carro com o cliente. Após o furto, ela saiu do carro e fugiu.

Os furtos, roubos e programas sexuais sustentavam uma vida de luxo, com passeios em lanchas, festas em camarotes e roupas de grife, além de plásticas. Ela registrava tudo em suas redes sociais.

Leia Também