Miss transex Brasil é presa por dopar e roubar clientes em programas sexuais

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
Segundo a polícia, ela é apontada por ser chefe de uma quadrilha especializada em roubar clientes durante programas sexuais.

Mikaelly da Costa Martinez, de 25 anos, foi presa preventivamente pelos Policiais da 16ª DP do Rio de Janeiro na praia de Ipanema, na zona Sul do Rio de Janeiro. Ela é apontada por ser chefe de uma associação criminosa que dopa e rouba clientes durante programas sexuais. Ela foi miss Transex Brasil, em 2019.

De acordo com a polícia, Mikaelly está sendo investigada por atrair homens por meio do seu perfil no Instagram e, ao chegar a motéis, dopá-los para furtar alguns dos seus pertences, como celular, relógio e cartões de débito e crédito. 

Uma das vítimas reconheceu a transexual. Segundo o homem contou à polícia, eles teria se conhecido e em seguida ido a um motel. Lá ela teria dado uma lata de cerveja para ele com alguma substância dentro. A vítima acusou a modelo de roubar seus pertences. 

O homem relatou ainda que após o roubo, a miss saiu correndo, entrando em um carro de aplicativo. Ao pagar a conta do motel, ele percebeu que teve três cartões roubados. Dias depois, foram feitas três transações financeiras de R$ 6 mil e uma tentativa de empréstimo de R$ 5 mil.

Ainda segundo a policia, a transexual possui outras 17 anotações criminais por furto, além de dano e receptação em Mato Grosso do Sul, onde nasceu. Em janeiro de 2015, ela foi presa em flagrante por matar a travesti Douglas dos Santos Pinheiro, conhecido como Verônica Bismark, com um golpe de canivete também em Coxim (MS).

Leia Também