Igreja Universal terá que devolver mais de R$ 200 mil à mulher que comprou ‘cantinho no céu’

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

A igreja do bispo Edir Macedo, foi condenada pelo Ministério de Justiça do Estado de São Paulo a devolver mais de R$ 200 mil à uma fiel que se sentiu coagida a contribuir com o valor em troca de um ‘lugarzinho no céu’.

A mulher relatou que em dezembro de 2017 e julho de 2018 fez as maiores doações para a Igreja Universal do Reino de Deus, onde frequentava desde os anos de 1999, quando procurou refúgio e orientações durante um período conturbado de sua vida, passando a participar fielmente para ser ‘abençoada por Deus’.

Ela chegou a repassar R$ 204.500, o dinheiro seria fruto de 30 anos de economia. Ainda segundo ela, os líderes da igreja vinculavam o céu à entrega do dinheiro e se sentia culpada quando não conseguia doar.

 “Ela realizou as doações porque tinha convicção de que apenas se sacrificando agradaria a Deus e teria a sua bênção”, afirmou a defensora pública Yasmin Pestana, que está representando a requerente.

E segundo a argumentação, a coação é uma prática que não necessariamente depende da força física ou da ameaça direta para acontecer, mas que a criação do “temor” é motivo plausível para tal ação.

A Igreja Universal se pronunciou e afirmou, na defesa, que a mulher não foi coagida.

“A autora [do processo] é maior [de idade] e, portanto, absolutamente capaz de entender e refletir sobre a consequência dos atos praticados, não podendo agora alegar ter sido vítima de coação psicológica, decorrente do discurso litúrgico dos pastores”, disse a defesa.

A Igreja Universal ainda pode recorrer da decisão da Justiça.

Leia Também