Bosque da Ciência do Inpa reabre para visitação do público na Semana das Crianças

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

A Semana das Crianças terá um motivo a mais para comemorar. Agora crianças, jovens, adultos, pais, turistas, poderão visitar novamente o Bosque da Ciência, espaço de visitação pública do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/ MCTI). A reabertura do Bosque para público em geral acontecerá a partir desta terça-feira (11 de outubro). A entrada é gratuita. É necessário agendamento pelo site (https://bosquedacienciaam.wixsite.com/agendamento).

A Semana das Criança contará com uma programação especial para a garotada e família até domingo, incluindo já este feriado de Nossa Senhora Aparecida – padroeira do Brasil, quando é comemorado também o Dia das Crianças (12 de outubro). A equipe do Bosque e grupos de pesquisa parceiros preparam diversas atividades lúdicas e educativas, como pinturas, passeios, exposições e oficinas sobre plantas aquáticas (macrófitas), cobras e tartarugas da Amazônia.

Em outubro é comemorado o Mês Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovações (MNCTI), e o Inpa realizará até meados de novembro diversas programações especiais de popularização da ciência, educação e sensibilização ambiental. As atividades também farão parte das comemorações de aniversário de 70 anos de criação do Inpa (29 de outubro), uma das mais importantes instituições de científicas da Amazônia, referência mundial nos estudos de biologia tropical.

“Convidamos toda a população para visitar o Bosque da Ciência. Estamos no processo de reabertura para o público em geral, e estamos trabalhando com todo o cuidado para que o nosso visitante tenha uma experiência positiva e prazerosa no seu reencontro com o nosso querido Bosque da Ciência!”,  convidou a coordenadora de Extensão do Inpa, a pesquisadora Rita Mesquita.

As visitas poderão ser feitas de terça a domingo. O Bosque funcionará das 9h às 17h, mas a entrada na Portaria será das 9h às 11h30 e das 14h às 16h30. O parque está localizado na rua Bem-te-vi, s/nº, bairro Petrópolis, zona Sul de Manaus.

Reabertura

O processo de reabertura presencial do Bosque começou em maio deste ano. Há quase cinco meses, o parque recebe o agendamento de escolas para visitas guiadas pela equipe do Programa Ciência na Escola (PCE/ Inpa), modalidade que continuará. Nesse período, mais 2,5 mil estudantes, 240 professores e acompanhantes de 69 escolas visitaram o Bosque, um museu vivo da Amazônia em plena área central de Manaus. Boa parte dessas escolas participou do “I Concurso de Plano de Aula do Bosque da Ciência” desenvolvido pelo PCE, programa que visa aprimorar o ensino de ciências nas escolas de educação básica, popularizar a ciência e desenvolver educação ambiental.

“Os últimos anos foram de muito trabalho, com a equipe enfrentando os desafios com criatividade e dedicação. Estamos felizes em poder reabrir o Bosque para todos. Só agora temos condições de oferecer uma visita segura e de qualidade para o público em geral, a quem agradecemos pela compreensão”, disse a coordenadora de Extensão.

Um dos espaços mais visitados de Manaus, o Bosque da Ciência recebia cerca de 100 mil visitantes por ano, 60% de forma gratuita, antes da pandemia da Covid-19. O ingresso custava R$ 5. O Bosque é um fragmento florestal de 13 hectares (equivalente a 13 campos de futebol) de floresta primária, com uma diversidade de espécies da fauna e flora amazônica e vários atrativos turísticos. É principal espaço onde o Instituto desenvolve ações e projetos de educação e sensibilização ambiental, popularização da ciência, além de atividades de arte e cultura conectados com a ciência.

Nos últimos dois anos, mesmo no período mais intenso da pandemia, o Inpa trabalhou para que os animais e a infraestrutura do Bosque ficassem bem e em segurança. A equipe desenvolveu ainda diversas ações virtuais para se manter conectada com os públicos do Bosque e oferecer serviços de visitação e educação a população e escolas de Manaus. Passeios, visitas, oficinas, rodas de conversa, bate-papo e palestras foram realizados e transmitidos pelas mídias sociais.

Agendamento

Os ingressos para o Bosque são diários, limitados e específicos para o período solicitado (manhã ou tarde).  O agendamento é gratuito e o solicitante deverá informar, no momento da reserva, quantas pessoas virão na visita. Cada pessoa responsável poderá retirar no máximo 10 ingressos. Na portaria, basta apresentar o bilhete impresso ou digital pelo celular.

A Coordenação de Extensão lembra que alguns atrativos do Bosque estão em manutenção, mas aos poucos entrarão no roteiro de visitas, como a Casa de Madeira e o Chapéu de Palha. No momento, os serviços de alimentação e bebida (lanchonete e sorveteria) não estão disponíveis. A recomendação é trazer garrafinha de água, pois há bebedouros com água potável espalhados pelo Bosque, além do visitante usar calçados fechados.

Atrativos

Entre os atrativos estão a Casa da Ciência com a Exposição Tramas da Ciência, a Ilha da Tanimbuca (árvore com idade estimada em 600 anos), trilhas e Lago Amazônico. Também estão disponíveis construções sustentáveis e outras tecnologias desenvolvidas pelo Inpa, como o condomínio das abelhas sem ferrão, casa ecológica e a casa de rolo resto.

É possível ver ainda ariranha, jacaré, e com sorte animais da vida livre, como macacos (sauim-de-coleira, macaco de cheiro e parauacu), preguiças (real e bentinho), cutias, iguanas, pássaros e várias espécies de insetos e plantas. No Centro de Estudos de Quelônios Aquáticos da Amazônia (Cequa), o visitante pode conhecer 14 das 20 espécies de quelônios da Amazônia brasileira (tracajá, tartaruga-da-Amazônia, perema, jabuti, cabeçudo, mata-matá, entre outros).

Leia Também