Coronéis aposentados ligados à Amazonino querem suspender benefício de PMs

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

MANAUS – (AM) Um grupo de coronéis aposentados, encabeçado por Walter Cruz e Amadeu Soares, não teria ficado satisfeito com o pagamento da data-base de 2020, que alcança 10 mil policiais militares e bombeiros, uma das vantagens anunciadas pelo governador Wilson Lima (PSC) essa semana e que devem ser implementadas em janeiro de 2022.

O grupo também quer ser contemplado e, segundo fontes ouvidas, estão dispostos a fazer o que for possível, usando uma ação judicial para impedir, inclusive, que o aumento e as melhorias nas gratificações já anunciadas sejam pagas aos PMs da ativa em janeiro.

“Até que o grupo seja contemplado, eles estão dispostos a prejudicar as quase 10 mil famílias de PMs e bombeiros em atividade”, revelou a fonte, que também descreveu estar preocupada com o cunho político e eleitoral do movimento.

É que os coronéis Walter Cruz e Amadeu Soares trabalham diretamente com o ex-governador e atual pré-candidato ao governo do Amazonas, Amazonino Mendes (sem partido). Ambos já ocuparam cargos de confiança em governos de Amazonino, várias vezes. “Você via claramente que eles vêem nisso uma possibilidade de atrapalhar o atual governo. Se a tropa não receber o aumento em janeiro, o Wilson (Lima) fica mal com a gente e é ganho para eles”, explicou a fonte.

Em outubro, o governador Wilson Lima anunciou o pagamento da data-base de 2020, no percentual de 3,30%, para servidores da ativa de Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. Além disso, ele disse que vai possibilitar o aumento de salário dos PMs.

Os coronéis foram procurados até o fechamento desta publicação para comentar o assunto, mas nenhum deles deu retorno.

Leia Também