Após matar policial militar com quatro facadas, esposa diz que agiu em legítima defesa

Facebook
Twitter
WhatsApp

O sargento da Polícia Militar Márcio Anderson Vinholte Silva, de 42 anos, morto na madrugada desta quarta-feira (26), em casa, pela esposa, Daniele Siqueira da Silva e Silva, de 32 anos, teria agredido a assassina confessa. É o que ela alega.

ADVERTISEMENT

Seu advogado Igor Célio Dolzanis explica.  “Na realidade o que foi comunicado por ela é que o sargento teve um surto psicótico, claro que ele tomava remédio controlado, numa dose exagerada há cinco anos. Aí, ele chegou em casa, desferiu dez tiros na casa, e dois em direção a ela. Se sentindo ameaçada ela pegou uma arma branca e desferiu os golpes. Ela agiu em legítima defesa”, conta Igor Dolzanis.

Márcio morreu em casa, no bairro Mapiri, em Santarém, oeste do Pará.  Os vizinhos ouviram tiros e chamaram a polícia. Além da faca, a polícia apreendeu  uma pistola na calçada da casa.

Leia Também

plugins premium WordPress
error: Conteúdo protegido contra cópia!