Ibama e PF queimam 31 balsas do garimpo ilegal no Rio Madeira e prendem um homem; ouro é apreendido

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

BRASIL – | Agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e da Polícia Federal (PF) queimaram 31 balsas usadas por garimpeiros ilegais. Um homem foi encontrado e preso. Porções de ouro e mercúrio foram apreendidas.

A situação veio à tona essa semana, quando foram mostradas centenas de balsas e dragas atracadas em um único ponto do rio Madeira, para exploração em massa de ouro. Os garimpeiros chegaram a ir embora do local na quinta-feira (25), mas alguns continuaram.

O governo prometeu uma ação ao garimpo ilegal e o Ministério Público de Contas acionou o Tribunal de Contas da União (TCU) para investigar uma possível omissão de órgãos fiscalizadores no combate ao garimpo ilegal no interior do Amazonas.

 Moradores da Comunidade do Bonfim, que fica às margens do Rio Madeira, no interior do Amazonas, temem que a presença do garimpo polua o rio e contamine os peixes.

A comunidade fica a poucos minutos da cidade de Autazes. Segundo os moradores, cerca de 20 famílias moram no local e sobrevivem com o uso da água do rio e os peixes que são pescados tanto para consumo, quanto para venda.

O mercúrio usado na atividade ilegal de garimpo no rio Madeira é capaz de causar lesões nos órgãos das pessoas que se alimentam todos os dias com peixes contaminados, pois apresentam sintomas mais crônicos do minério do corpo.

Leia Também