Excêntrico, Arnold Putra, comprador de órgãos humanos de professor da UEA participa de ritual macabro com cadáveres

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Manaus se assustou com a notícia de um renomado professor da Universidade Estadual do Amazonas (UEA) sendo investigado pela Polícia Federal por tráfico internacional de órgãos humanos e o mais chocante, descobrir quem era o comprador do material que saia do Amazonas para Singapura, na Ásia.

Segundo a PF, o destinatário final das placentas humanas e da mão, seria o designer famoso indonésio Arnold Putra, dono de uma conta na internet com mais de 65,1 mil de seguidores, agora privada para não seguidores.

A PF cumpriu nesta terça-feira (22) dois mandados de busca e apreensão: um na UEA e outro na casa do professor suspeito do crime. Em nota, a UEA informou que um professor da disciplina de anatomia foi afastado por 30 dias por suspeita de traficar órgãos humanos, após ordem da Justiça Federal.

O artista conhecido por sua excentricidade criou uma bolsa com uma espinha humana como alça e viralizou na internet

Em sua conta no instagram, ele posta uma rotina que chama a atenção pela forma de vida. Num dos post, ele aparece sentando ao meio de cadáveres praticando um ritual.

De acordo com o delegado Igor de Souza Barros, a Polícia Federal identificou que o artista é acostumado a receber encomendas como as enviadas supostamente por um professor da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

“Verificamos que esse destinatário já tinha indícios de recebimento de materiais humanos não só do Brasil, mas de outros lugares para fazer artesanato, adornos e peças”, disse.

Leia Também