Amazonas inicia testagem de passageiros no aeroporto para vigilância de novas variantes

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Ampliando o monitoramento da Covid-19 por meio da vigilância genômica de novas variantes, o Governo do Estado iniciou, na manhã desta segunda-feira (31/05), a oferta de testagem aos passageiros que desembarcam no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, em Manaus. Equipes da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) e da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa- Manaus) e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) montaram um posto para realização de exames no local.

Os testes são do tipo RT-PCR e o material é coletado no saguão do aeroporto, após monitores orientarem e sugerirem o exame nos portões de desembarque. O RT-PCR é voluntário para 10% dos passageiros de cada voo que chega diariamente ao aeroporto. Os profissionais ficarão no local, atuando em turnos de 12 horas para vigilância por 24 horas.

A diretora-técnica da FVS, Tatyana Amorim, explicou que os resultados de testes de RT-PCR devem ser emitidos em até 48 horas após a realização. As coletas serão analisadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-FVS).

“A ideia é identificar um caso suspeito para que a gente possa orientar, isolar e interromper a cadeia de transmissão. Esses 10% de passageiros que testaremos é justamente para identificarmos se através do exame RT-PCR for um caso detectável para Covid-19, mandarmos essa nota para o processamento na Fiocruz identificar se tem ou não a entrada de nova variante”, afirmou Tayana Amorim.

O secretário de Saúde do Amazonas, Marcellus Campêlo, acrescentou que cerca de 7 mil testes RT-PCR foram realizados em unidades portas de entrada no mês de maio. Os resultados positivos alcançaram 12% das análises, reforçando a importância da vigilância.

“As medidas não farmacológicas são muito importantes como a utilização de máscaras, manter o distanciamento social, evitar as aglomerações, além da higienização das mãos, mas principalmente aos primeiros sintomas de gripe ou síndrome respiratória procurar uma Unidade Básica de Saúde. As unidades estão preparadas, treinadas para receber a população, realizar os testes e se for necessário orientar quanto ao isolamento e também aos primeiros medicamentos de tratamento quanto à Covid-19”, destacou Campêlo.

Viajantes – O coordenador regional da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Jerfeson Caldas, destacou que o órgão também compõe a estratégia por meio da identificação de viajantes oriundos de áreas endêmicas, sobretudo África do Sul, Inglaterra e Índia. A orientação é dada para a tripulação informar os passageiros sobre a existência do serviço.

“A Anvisa já atua na vigilância sanitária e no monitoramento de portos, aeroportos e fronteiras, então o Estado entra em parceria para realizar esse trabalho que para nós é importante, uma vez que nós temos um sistema nacional onde nós identificamos a situação de saúde dos viajantes”, explicou o coordenador.

Leia Também